Revelações Angelicais—o Evangelho revelado novamente por Jesus


 

Capítulo 5

A Natureza verdadeira de Deus, o Pai Celestial

 

 

Quem e Que é Deus (Jesus)

Quem e Que é Deus (Ann Rollins)

Ann Rollins sobre Deus, continuação.

O pai do Sr. Padgett confirma o que Ann Rollins escreveu acerca de Quem e Que é Deus

Joseph H. Salyards escreve sobre seu conhecimento e sua percepção de alma quanto a Quem e Que é Deus. Declara que Deus tem personalidade.

Jesus confirma a mensagem do professor sobre a personalidade de Deus, e a necessidade de desenvolver as percepções de alma, para podermos perceber a personalidade de Deus.

Lucas adiciona seu testemunho sobre Quem e Que é Deus. Ele também confirma que Deus tem personalidade.

Estêvão declara que Deus vê, ouve e conhece os pensamentos dos homens e espíritos.

João confirma que Deus responde à reza. Ele discute a importância da oração para a alma poder desenvolver-se e grandes obras poderem seguir.

João relata como as rezas são respondidas por coisas materiais. Revela que o Milagre dos pães e pezes jamais ocorreu.


 

 

 

A Natureza verdadeira de Deus,

o Pai Celestial

 

 

Quem e Que é Deus

 

Eu estou aqui, Jesus

Estive com você quando rezou, e me uni a sua reza ao Pai pelo influxo abundante de Seu Grande Amor em sua alma; e eu sei, que Seu Espírito Santo está presente, que Seu Amor está fluindo dentro de sua alma, e que você chegará a ser um só com o Pai. Seu Amor sempre virá a você, quando rezar como o tem feito esta noite, e Seu Ouvido que escuta está sempre aberto para as sérias aspirações de Seus filhos, os quais vêm a Ele com verdadeiras ansiedades da alma. Você conhece o segredo, como alcançar o Amor do Pai, e em todas as ocasiões, quando sentir a necessidade deste Amor, ou desejar estar perto do Pai, utilize o segredo e não sofrerá desengano.

Você está em uma melhor condição esta noite em seu desenvolvimento da alma e das percepções, e pode receber minha mensagem, qual tenho querido comunicar por certo tempo. Estava esperando somente, para você chegar a uma conexão completa comigo.

Bem, você lembrará, de que nas primeira fases de nossas escritas, comuniquei a você meu conhecimento e concepção de Quem e Que é Deus, e que contei a você ultimamente, que desejava voltar a escrever a mensagem, porque sua condição está agora muito melhor para receber estas Verdades do que antes, quando a mensagem foi escrita. E assim, esta noite entregarei a mensagem, e tomarei uma possessão mais completa de seu cérebro, e controle de sua mão, do que pude fazê-lo no tempo mencionado.

Então, a pergunta é: "Quem e Que é Deus?

Tratando esta pergunta, você tem que entender, que não é tão fácil descrever a Essência e os Atributos de Deus em um idioma, que os mortais possam compreender. E sinto as limitações, às que estou sujeito no esforço em dar-lhe uma descrição satisfatória do único e verdadeiro Deus, não pela pobreza de conhecimento e da concepção por minha parte, senão pelo fato, que você não tem o desenvolvimento preciso da alma, para eu poder formar a relação necessária com você, para a Verdade exata sobre Quem é o Pai poder ser expressada por seu cérebro.

Pois, para começar, Deus é Alma, e Alma é Deus. Não a alma que há no homem criado, mas o Alma que é a Deidade mesma — existente, sem começo ou fim, e cuja Entidade é o grande fato no universo da existência.

Deus não tem a forma, como o homem a tem imaginado em quase todas as idades, e especialmente por aqueles, quem crêem na Bíblia dos hebreus, assim como nesta dos cristãos. Contudo, Ele tem uma Forma, a que somente as percepções da alma de um homem, que tem chegado a um certo grau de desenvolvimento (aquele que tem assumido a Divina Natureza do Pai e assim se tem convertido em uma parte da Alma de Deus) podem discernir e notar como uma entidade. Não há nada em toda a natureza, com o que os homens estejam familiarizados, ou do que tenham conhecimento, que pode ser usado para fazer uma comparação com esta Grande Alma, até com as percepções do espírito. Como conseqüência, os homens estão muito equivocados, imaginando-se que Deus tem uma forma que de alguma maneira se pareça a aquela do homem; somente aqueles quem negam o Deus antropomórfico em suas crenças e ensinos, têm razão.

No entanto, Deus tem Forma, que Lhe dá uma Entidade e Substância e Sede de Habitação, em contraposição a este Deus, quem (nos ensinos de alguns homens), como se diz, está em qualquer lugar nesta Substância e Entidade — nos árvores e nas rochas, no trovão e no relâmpago, nos homens e nas bestas, em todas as coisas criadas, e em quem, se diz, os homens vivem e se movem e têm sua existência. Não, este conceito de Deus não está de acordo com a Verdade, e é vital para o conhecimento e a salvação dos homens, que não considerem ou creiam tal concepção de Deus.

Crer que Deus é sem Forma, é crer que Ele é só uma força ou um princípio ou poder nebuloso e, como alguns dizem, o resultante de leis. Porém, na realidade, Deus tem estabelecido estas leis para controlar Seu universo de Criação, e elas se expressam e manifestam para os homens por estes mesmos poderes e princípios que, até certo ponto, os homens podem compreender.

O criança perguntou: "Quem fez Deus?" E porque os homens sábios não podem responder a esta pergunta, em sua "sabedoria" concluem e asseguram que não pode haver um Deus real de Personalidade ou Forma da Alma; por conseguinte, somente força, princípio ou leis implicadas, podem ser Deus. Em seu próprio conceito pensam, que têm resolvido a pergunta. Mas o criança possivelmente não está satisfeita com a resposta, e pergunta aos homens sábios: "Quem fez o princípio e a força e as leis, que temos que aceitar como o único Deus?" E então os homens sábios não podem contestar, a menos que eles respondam: "Deus" — o que não crêem, mas que, deixe-me dizer a você, é a verdade e a única resposta.

Deus está atrás da força e do princípio e da lei, que são todos somente expressões de Sua Existência, e que não podem existir sem ele. Estas expressões são somente existências; mutáveis, dependentes e sujeitas à Vontade de Deus quem, unicamente, Ele É.

Deus, então, é Alma. E esta Alma tem sua forma, perceptível somente a sim mesma, ou a esta (alma) do homem quem, pela possessão suficiente da mesma Substância da Grande Alma, se tem convertido em como Deus — não em imagem somente, senão na mesma Essência. Nós, os espíritos da progressão superior da alma, podemos ver a Deus e Sua Forma por nossas percepções da alma. Mas aqui, uso as palavras "ver" e "forma", porque são as únicas palavras, que posso usar para dar aos mortais uma concepção comparativa do que me esforço de descrever.

Ao lembrar-se, que os mortais apenas podem conceber a forma do corpo espiritual de um homem, que se compõe ou se forma da matéria do universo (conquanto não se aceite geralmente que seja de matéria), se verá com facilidade, que me é dificilmente possível transmitir para eles uma idéia mesma fraca da Forma da Alma de Deus, que se compõe do puramente espiritual — é dizer, não de matéria, mesmo que sublimada em um grau supremo.

E conquanto não posso descrever para os homens isto, do que podem compilar uma concepção da Forma da Alma pelas limitações mencionadas (porque tal Forma somente pode ser vista pelo olho da alma, que os homens não têm), não se deve crer que, porque os homens não podem compreender ou perceber a verdade da Forma da Alma, por isso não é uma verdade. Uma verdade, apesar não concebida ou recebida por homens, espíritos ou anjos, segue sendo uma verdade; sua existência não depende de seu conhecimento. E mesmo quando todos os mortais da terra e todos os espíritos e anjos do céu, salvo um só, não pudessem perceber a existência desta verdade, porém, a percepção de sua existência por aquele, irrefutavelmente comprova sua realidade.

Mas como tenho dito, a verdade da Forma de Deus — da Forma da Alma — pode ser testemunhada por mais de um dos espíritos Celestiais dos homens defuntos da terra. E como intentei explicar, existe a possibilidade para os mortais (da vida presente e em um grande futuro), perceber Deus, se suas almas se tiverem convertido em donos da Divina Substância do Amor de Deus em quantidade suficiente.

A alma criada do homem, tem sua forma — feita a imagem de Deus; porém, o homem não pode ver esta forma, ainda que é um fato, e pode ser testemunhado por muitos nos reinos espirituais.

E tenho que dizer aqui, que quando em nossas mensagens falamos de Deus existindo sem forma, nos referimos a qualquer forma, como os homens se a imaginam, ou pensam que a tem; e nossas expressões não devem considerar-se como contraditórias ao que intentei explicar como a Forma de Deus.

Bem, adicionalmente à Forma, Deus tem uma Personalidade; e esta se expressa e se manifesta para o homem por certos atributos que, para a consciência do homem, existem no universo. Mas para alguns filósofos e cientistas e homens sábios, estes atributos são seu Deus impessoal, mesmo; e para eles, o único Deus. Eles fazem do criado, o Criador, e não compreendem que atrás da expressão tem que estar a Causa; e esta tem que ser maior do que o atributo, do que a expressão do atributo se projeta, ou como mais gostam de formular, evoluciona.

E aqui eu, quem sei, desejo dizer, que estes atributos manifestos ou forças e poderes e princípios e leis e expressões não constituem, todos juntos, Deus. Seus atributos ou expressões, manifestados para os mortais ou espíritos, são somente os resultados ou efeitos do funcionamento de Seu Espírito, e o Espírito é somente a energia ativa de Sua Alma — dEle Mesmo. E como conseqüência, a Forma de Deus não está distribuída sobre todo o universo da criação, onde Seus atributos podem estar, ou simplesmente porque estes atributos se manifestam por toda a parte.

Não, como disse Moisés do Antigo Testamento, e como disse eu quando estive na terra, Deus está em Seus Céus. E conquanto pode ser surpreendente e assustar os mortais ouvir isso, Deus tem Sua habitação; e Deus, a Substância, a Forma da Alma que existe por Si mesma, tem Sua locação. E os homens não vivem nem se movem nem têm sua existência em Deus; senão o fazem em Duas emanações e expressões e Espírito. Como está algo exausto, penso que é um bom lugar para terminar.

Estou contento que esteja em tão boa condição. Assim, esteja preparado para uma pronta renovação da mensagem.

Com meu amor e minhas benções, digo boa noite.

Seu irmão e amigo,

       Jesus

 

 


 

 

Quem e Que é Deus

 

Eu estou aqui, sua avó. (Ann Rollins)

Pois, meu filho, venho esta noite, como prometi, com o propósito de escrever a você uma carta, informando-lhe uma certa verdade espiritual, que quero que conheça.

Estou agora na terceira esfera Celestial, como disse a você antes, e me encontro agora em uma condição superior em meu conhecimento das verdades espirituais, e se me abriu um panorama espiritual, que acrescenta minha compreensão da verdade e das projeções do Pai para a felicidade e salvação de Seus filhos.

Agora sei mais que nunca, que Ele é um Deus real, existente, de Amor e Poder e Sabedoria, e esta ira, tal como a ensina a Bíblia, não forma parte de Sua Natureza; e que Ele somente tem Amor e cuidado e simpatia por Seus filhos na terra, assim como no mundo dos espíritos.

Ele não é um Deus que está distante, esperando a chegada "do grande dia do julgamento" para aprovar ou condenar Seus filhos segundo Seus fatos cometidos na terra, antes, Ele está com todos os homens e espíritos de certo modo que, Sua influência de Amor e Beneficência podem sentir-se por eles, se eles somente se acham nesta condição de receptividade de alma, que a influência possa sentir-se; porque, como dissemos antes, a relação e proximidade de Deus ao homem depende da vontade e dos desejos do homem mesmo em um muito alto grau.

Deus não está com os homens no que se pode chamar Sua Personalidade, como tem sido ensinado pelos mestres da Bíblia e as religiões do mundo. E os homens não vivem, nem se movem, nem têm sua existência nele, como Paulo escreveu; porque Sua Personalidade tem uma locação, que não está por toda a parte, senão está nos Altos Céus.

Eu sei que isto assustará muitos, ortodoxos e outros, e que lhes tira aparentemente a consolação de crer e sentir, que Deus está com eles e neles; no entanto, o que digo é verdade.

Ele não está neles, ou na natureza (como alguns dos cientistas dizem crerem em Deus). Ele não está em cada flor ou árvore ou outra manifestação de Sua Criação; e com respeito a Sua Personalidade, Ele não está omnipresente, conquanto Ele tem um conhecimento de todas as coisas que Ele tem criado. Digo "que Ele tem criado", porque há algumas coisas, que parecem para o homem como uma parte das realidades do universo, que Ele não criou, senão que o homem só criou. E por estas coisas, Ele não tem Amor e não as aprova ou favorece sua existência; no final, elas serão destruídas da face de Seu universo.

E ao dizer que Deus, em Sua Personalidade, não está em todas partes, e não com os homens todo o tempo, formando uma parte de sua existência, não quero dizer que se deve compreender, que Ele não é o Pai Carinhoso, Cuidadosa, tratando de fazê-los felizes e salvá-los dos resultados dos muitos feitos ruins deles, porque aquela conclusão não seria correta. E como digo, Ele não está com os homens nesta Personalidade, porém, Ele está com eles no sentido e na verdade, que Seus atributos de Amor, Sabedoria, Conhecimento e Poder estão sempre com eles.

A vida emana de Deus, mas a vida não é Deus; somente é um de Seus atributos, que se confere aos objetos de Sua Criação, para que eles possam viver, crescer e cumprir os propósitos da criação deles. E quando este propósito tem sido alcançado, Ele retira este atributo de vida deles, e os homens podem ver este fato. Deus, Mesmo, não cessou de formar parte deste objeto, porque Ele jamais foi parte do mesmo; senão somente este atributo de vida tem cessado de formar parte deste objeto.

Deus é a Fonte e o Origem de toda vida. Mas esta vida é somente uma de Suas criaturas, como nós dizemos, como é o homem ou outras coisas, que os mortais chamam matéria.

O homem não vive nem se move nem tem sua existência em Deus, senão somente nos atributos de Deus. Assim vê, não todos estes atributos juntos constituem Deus, porque Ele é uma Personalidade, de onde todos estes atributos emanam.

Eu sei que é difícil para você compreender o pleno significado do que intento transmitir, mas pode captar parcialmente, o que quero dizer.

O Amor é um atributo maior, até, do que a vida mesma. Mas o Amor não é Deus, igual que o amor não é o homem, conquanto é sua maior possessão, quando existe em sua pureza. E como o homem tem muitos atributos, os que todos juntos não fazem ao homem, igualmente Deus tem muitos atributos, porém, eles são somente parte de Sua Natureza e não Sua entidade.

O homem tem um corpo físico e uma mente, porém, eles não constituem ao homem, porque ele pode perder ambos e ainda seguir sendo homem ou espírito; é dizer, o ego ou a alma é o homem real — a personalidade. E todas as partes maravilhosas do homem, como a mente, os afetos, desejos e a vontade, são somente dele. E se ele fosse despojado deles por alguém, ele ainda seria homem, conquanto não um homem perfeito, como quando todos eles estão com ele, desempenhando suas funções precisas. O homem está criado assim que, a menos que ele tenha estas qualidades, que em sua criação chegaram a formar partes dele, e as que foram necessárias para fazê-lo a criatura perfeita, como ele foi, então ele não é o homem perfeito, que Deus decretou que seja assim. E até que estas qualidades se restaurem em sua totalidade ou se recuperem por ele, ele não será o homem, que foi a obra suprema do Todo-Poderoso.

Deus não é Deus, porque tem qualidades, senão estas qualidades existem, porque são atributos de Deus. Ele jamais os perde, nem se escondem ou cessam de funcionar, mas sempre existem, funcionam e obedecem a Sua Existência.

Deus é Alma, e a Alma é Deus. E nesta Alma estão a Personalidade e a Vida de Deus — sem forma, mas real e existente, e de onde emanam todos estes atributos de vida e amor, etc., dos que tenho falado. Deus é Espírito, mas o Espírito não é Deus. O espírito é somente uma das qualidades de Deus.

Escrevo isso para dar-lhe alguma concepção adicional de Quem e Que é Deus, e para mostrar a você, que Ele não está no homem, nem que o homem tem sua existência em Deus. Para mostrar a você, além disto, que Deus não existe, e não pudesse existir, no mesmo lugar com aquelas coisas, que não estão de acordo com Sua Natureza e qualidades, se estivesse Ele no homem ou o homem nEle, então não existiriam pecado ou erro ou coisas, que quebrantam Suas Leis.

Tenho que terminar agora, mas virei cedo para acabar minha mensagem.

Com todo meu amor, eu sou,        

A sua avó

 

 


 

 

Ann Rollins sobre Deus, continuação

 

Eu estou aqui, a sua avó

Venho para continuar com minha mensagem, se você pensar que está na condição de recebê-la. Pois, vamos intentá-lo. Se encontrar, que não o está, terminarei até a próxima vez.

Como disse, Deus não está no homem ou em coisas materiais com respeito a Sua Personalidade; senão somente aqueles atributos, aos que os homens geralmente, mas por engano, consideram serem Deus, Mesmo, se manifestam nas coisas materiais.

Como tenho dito a você, Deus não é o criador de todas as coisas, que parecem ter existência, porque muitas coisas, que controlam e governam o comportamento dos homens, são inteiramente as criaturas do homem, e não se acham em harmonia com as leis de Deus ou com Sua Vontade. Como conseqüência, quando se nota, que existem maus pensamentos, desejos e concepções nas almas e mentes dos homens, que não estão em harmonia com as criações de Deus, você pode ver com facilidade, que Deus não pode estar, e realmente não está em tais almas e mentes, nem estão Seus atributos.

Como se diz nas leis da filosofia física, dois coisas não podem ocupar o mesmo lugar ao mesmo tempo. Assim com respeito à filosofia espiritual, nós podemos dizer, que dois coisas não podem ocupar a mesma alma ou a mesma mente ao mesmo tempo, especialmente, quando elas são antagônicas ou opostas em suas qualidades ou princípios. Até que a uma desaloje seu sitio, a outra não pode entrar. E isto é invariavelmente verdadeiro com respeito às criaturas de Deus e as criaturas do homem, porque elas são sempre, e baixo todas as circunstâncias, opostas. (Em outras mensagens se explica, que o homem pode trabalhar e realmente trabalha em harmonia com Deus como um co-criador — ed.)

Falando das criaturas de Deus, não se deve compreender, que quero incluir Deus; porque Ele, como o Criador, é todo diferente de Suas criaturas. E enquanto Suas criaturas, ou certos de Seus atributos, podem achar uma moradia e habitação nas almas e as mentes dos homens, e na existência de coisas materiais, Ele (Deus) jamais acha tal moradia, e jamais forma parte de tais existências. Ele é tão distinto das criaturas — ou provavelmente melhor, emanações — de Si Mesmo, como são os pensamentos e desejos do homem distintos do homem mesmo.

Deus está em Seus Céus. E aqueles Céus têm uma locação, igual que as diferentes esferas do mundo dos espíritos, onde os espíritos têm suas casas, têm locações. E a locação de Deus está muito além das mais altas esferas Celestiais conhecidas pelo mais alto espírito, e para onde os espíritos sempre progridem. E, a medida que eles progridam, mais e mais perto vêm em contato com estes atributos de Deus, que continuamente emanam dEle.

Até Jesus, o que, como sabe, é o mais brilhante de todos os espíritos, e que possui mais de estes atributos do Pai do que qualquer outro espírito, jamais tem visto Deus, exceto pela percepção de sua alma; tampouco notou jamais, que Deus estivesse nele ou formasse parte dele. Os homens estão equivocados e decepcionados, quando disserem ou crerem que Deus está neles, ou que eles vivem e se movem e têm sua existência nEle!

Se a gente crer que isso é a verdade, então Deus pode somente ser algo nebuloso, inconsistente como o ar; e como muitos dos Espiritualistas dizem, somente uma força penetrando todo o universo, dividida em muitas e infinitesimais manifestações; vista e sentida hoje, e amanhã não tem existência; um "algo" menos substancial que o homem, ao mesmo tempo fraco e poderoso — uma contradição além de concepção ou explicação!

Deus não é assim. Todas estas manifestações são somente a evidência da existência de um Ser substancial e, posso dizer, jamais variável, sendo por Si Mesmo, quem não é a criatura da mente do homem, ou das necessidades ou desejos do homem, antes, é o Criador de todo — até de estes homens sábios mesmos, quem não podem conceber algum Deus, só a natureza (a mera criatura de Sua Existência, Sabedoria e Poder).

A mente humana, quando se a deixa só — é dizer, a sua própria evolução, como os cientistas de vocês dizem, e não influenciada pelas revelações das verdades espirituais, ou sugestões dos espíritos, que têm avançado no conhecimento das coisas além da matéria — não tem melhorado muito desde os dias, quando os homens viviam e morriam como adoradores do sol, e adoradores de gatos, touros e elefantes sagrados, e de tormentas e trovões e relâmpagos. Visualizaram Deus, como estava em todas estas manifestações, imanente e real, e para ser apaziguado ou amado como precisou a necessidade. Nos dias de hoje, entre as nações civilizadas de vocês, e homens sábios de estas nações, quem não podem ver nenhum Deus no espiritual, o grupo de todas estas coisas materiais é o Deus, a quem têm que adorar, se for que eles adoram.

Para eles, a natureza é Deus. Assim o único progresso que suas mentes têm sobre as mentes dos adoradores do sol e de animais, etc., que mencionei, se houver algum, é que aquelas mentes não estão contentas vendo Deus em uma só manifestação, senão têm que ver uma combinação de todas estas manifestações, que chamam natureza. Você vê, é somente uma diferencia gradual. O cientista de hoje, que se recusa a aceitar ou crer em algum Deus, que possa ter uma natureza espiritual, é exatamente a contraparte de seu assim chamado irmão "bárbaro", que O pôde ver somente no sol, etc., exceto que ele demanda um Deus maior, que tem que estar na mais baixa forma de existência mineral, tal como na mais alta forma de excelência solar, e até no homem mesmo (porque alguns crêem, o homem é seu próprio e único Deus).

É questionável, se estes homens sábios não estiver mais limitados em sua concepção e aceitação de um Deus, do que foram seus irmãos anteriores não civilizados, porque muitos dos últimos viram além e atrás de seu Deus do sol (e Deus de trovões, etc.) a outro e maior Deus, quem eles não puderam ver, mas puderam sentir e notar Sua Existência em suas almas.

Mas os homens sábios de civilizações têm seus intelectos tão desenvolvidos, que têm perdido seus percepções da alma. Nenhum Deus além do horizonte de seus percepções intelectuais pode existir; como conseqüência, como eles pensam, que conhecem a natureza, a natureza é toda a criação, e não pode haver outro Deus que a natureza. Mas, ah, que terrível equivocação!

Deus então, como tenho dito, é um ser — um alma — com uma personalidade, que tem um sítio muito arriba nos céus, e a quem todos os espíritos das esferas Celestiais e muitos das esferas espirituais se esforçam para acercar-se cada vez mais; e a medida que se acerquem, notam e conhecem a maior intensidade de Amor, Vida e Luz, que emanam da Fonte de Água Viva de estes atributos de perfeição.

E assim repito, Deus não está no homem ou na besta ou planta ou no mineral, senão somente Seus atributos, como Ele vê a necessidade por seu funcionamento. E o homem não vive nem se move nem tem sua existência em Deus.

Bem, meu filho, de minha maneira imperfeita tenho dado a você certa idéia de Quem e Que é Deus. Substancialmente, minha explicação é o consenso do conhecimento dos espíritos Celestiais, cujo conhecimento se baseia nas Verdades, que nenhum mortal, ou todos os mortais juntos, não podem jamais aprender com suas mentes limitadas.

Penso que recebeu minhas idéias e palavras bastante corretamente, e espero, que as verdades, que tenho escrito, possam resultar proveitosas para toda a humanidade.

Estou muito feliz e regressarei cedo e escreverei para você algumas outras verdades, que talvez lhe interessem.

Tenho que terminar agora.

Com todo meu amor e minhas benções, eu sou

Sua própria carinhosa avó,

        Ann Rollins

 


 

 

O pai do Sr. Padgett confirma o que Ann Rollins escreveu acerca de Quem e Que é Deus

 

Eu estou aqui, Tu Padre

Eu tenho escutado a mensagem da sua avó e me interessou observar como você a recebeu, porque é uma profunda e importante comunicação da verdade, que não se conhece geralmente entre os mortais. É claro que, nós nas esferas inferiores não sabemos estas verdades tão extensamente, do que os espíritos das esferas Celestiais. Mas escutei o discurso do Mestre sobre o tema de Deus, e o que a sua avó escreveu para você é, em resumo, o que ele nos tem explicado, mas é certo que, de uma maneira, nós podíamos compreender a verdade melhor e mais amplamente do que você pode.

Há uma coisa que tenho observado no caso daqueles, quem se chamam cientistas e que somente crêem no material, e também no caso daqueles, quem proclamam serem infiéis. Quando eles vêm à vida espiritual, muito cedo percebem, que existe ou tem que existir um Deus, e que seu Deus da natureza, ou seu Deus feito pelo homem, não existe aqui. É claro que, eles não recebem uma concepção da Natureza de Deus em um princípio, mas sabem muito cedo depois de virem ao além, que há outro Deus, que é diferente do que eles se O imaginaram, quando tinham uma falsa concepção dEle na terra, ou quando eles negaram que tinha algum Deus; e eles cedo notam a absoluta necessidade da existência de um Deus. E quando eles tinham feito ao homem seu próprio Deus, então vêm muitos espíritos dos homens em tais condições de trevas e sofrimento e desamparo, que compreendem com facilidade, que o homem não é Deus.

Assim digo, a primeira verdade que entra em suas mentes e almas, quando se convertem em espíritos, é que há um Deus, conquanto eles não conhecem Sua Natureza e atributos.

Assim vê, há somente um pequeno véu de carne entre a mente vaidosa de um mortal quem proclama, que não há nenhum Deus, só a natureza, ou nenhum Deus de modo algum, e a mente de um espírito, que é consciente de sua fraqueza e pequenez, como existe no mundo dos espíritos.

Mas tenho que terminar escrevendo sobre este tema, ou pensará que vou escrever para você uma lição, que não penso fazer agora.

Com todo meu amor, eu sou,

       Seu carinhoso pai

 


 

 

Joseph H. Salyards escreve sobre seu conhecimento e sua percepção de alma quanto a Quem e Que é Deus. Declara que Deus tem personalidade

 

Eu estou aqui, seu velho Professor Salyards

Somente quero dizer que sou muito feliz. Também quero, que saiba que estou progredindo em minha condição de desenvolvimento da alma e em meu conhecimento das verdades, que pertencem ao mundo dos espíritos. Não tenho escrito a você por muito tempo, mas queria dizer a você certas verdades, que aprendi desde a última vez que escrevi a você.

Bem, me parece que agora estou em uma melhor condição de desenvolvimento da alma, que me permite ver a verdade, do que o Mestre nos tem dito com relação à real existência de Deus — um Deus que conhece o que Seus criaturas estão fazendo e como eles estão usando suas almas e corpos. Quero dizer, que este Deus tem todas as faculdades, que você suporias somente um, ser que tenha uma personalidade e forma; porque um não pode compreender realmente, como uma mera essência ou existência sem forma possa ter esses poderes e qualidades.

Nunca, porém, pude compreender a verdade e o significado real de Deus até agora, crendo que Ele era mera essência, desprovida de forma ou personalidade, quem pôde ter a sabedoria e o amor e poder, que se me ensinou que Deus possuía. Mas agora sei que Deus é nem uma mera essência nem está desprovido de personalidade. Também, que a compreensão das qualidades de Deus está em efeito além da mente limitada, e pode somente ser aceitada como uma concepção de uma existente condição ou verdade por meio da fé. Porém agora, tenho mais que a fé para permitir-me compreender o fato, de que este Deus (a quem nós chamamos nosso Pai, porque Ele é) tem todas estas qualidades e poderes. E para mim, tal compreensão é uma maravilhosa e inesperada adição a meu conhecimento de Deus.

Esta compreensão, é claro, não é uma coisa que surge do exercício da mente. Nem é o resultado de um poder ou uma qualidade mental, da que jamais me tinha precatado, que a possuísse. Antes, é o resultado do exercício de minhas percepções da alma. E estas percepções chegaram a ser tão grandes, e em tal condição de unissonância ou harmonia com as qualidades da alma de nosso Pai, que Ele e todos estes atributos me parecem reais, existências perceptíveis, que têm tanta certeza de existência compreensível como a existência de espíritos e d dos atributos deles.

Assim vê, o que o desenvolvimento da alma pode significar, e quais são suas possibilidades. Nenhum desenvolvimento de qualidades ou atributos intelectuais pôde jamais conduzir a uma compreensão da personalidade de Deus como a descrevi.

Em toda minha vida, natural ou espiritual, jamais concebi ou esperei que fosse possível para alguma alma de mortal ou espírito, ver a Deus como agora veio a Ele. E jamais pude compreender, o que significava a beatitude, "os limpos de coração verão a Deus," exceto neste sentido: que a medida que nos purifiquemos de coração, aquelas qualidades, que se atribuem a Deus, se converterão em parte de nós. E como donos, nós podemos "ver" a Deus, ou antes, perceber o resultado daqueles atributos de Deus em nossas almas.

Não sei se puder compreender totalmente, o que me esforço por transmitir-lhe, mas intentei de meu melhor maneira envolver a idéia em um idioma, que sua mente possa compreender, que é o que quero dizer até certo ponto. Eu sei que você jamais saberá plenamente, que é esta grande percepção da alma, até que experimentes este desenvolvimento em sua própria alma. Porque este desenvolvimento é necessário para capacitar sua alma para ver com claridade, o que eu agora estou vendo.

Pensei contar-lhe deste progresso de minha alma, para você poder ter uma fraca idéia do que o desenvolvimento da alma significa, de uma diferente maneira do que uma adição ao desenvolvimento do princípio do amor natural. Porque o Amor Divino é o cumprimento da lei, e esta lei inclui o que nos capacita para percebermos, que Deus é uma Personalidade, que tem estas qualidades das que falo.

Veio que tenho escrito suficiente por esta noite. Se você lê cuidadosamente o que tenho escrito, achará muito alimento para o pensamento, e provavelmente alguma ajuda para uma correta, concreta compreensão de Quem e Que é Deus.

Assim, expressando mi satisfação e alegria por poder vir a ti outra vez, e expor mis idéias de Quem é nosso Pai, e também pela oportunidade de declarar, que Deus é uma Existência, que tem uma existência por Si Mesmo, que se percebe e compreende pelas percepções de alma dos redimidos de Suas criaturas, digo boa noite.

Seu velho professor e irmão em Cristo,

        Joseph Salyards

 

 


 

 

Jesus confirma a mensagem do professor sobre a personalidade de Deus, e a necessidade de desenvolver as percepções de alma, para podermos perceber a personalidade de Deus

 

Eu estou aqui, Jesus

Escutei o que o professor disse, e você tem que intentar o melhor para compreender seu significado. Contém uma descrição da verdadeira concepção de Deus de uma maneira, que somente alguém com percepções da alma desenvolvidas pôde explicar. A única dificuldade em sua compreensão total desta idéia de Quem e Que Deus é, que a mente não pode captar a idéia. Porque somente a alma que tem tido desenvolvimento em um grau suficiente pode compreendê-la. Porém, você pode conceber seu significado em um grau, que permitirá a você chegar mais perto de nosso Pai como um Pai real, pessoal, e não como um ser de existência só, sem forma. Quero dizer, que a idéia de personalidade pode acercá-lo ao Pai, para você poder notar um significado mais profundo de Seu Amor, Cuidado, Misericórdia e Interesse por você e por todas Suas criaturas.

Em minha mensagem sobre Deus achará, que se fala da idéia de personalidade, mas não se põe tanto ênfase nela como na escrita do professor. Mas a verdade é, que nosso Pai é um Ser de real existência e personalidade para as percepções da alma. É claro que, os homens não compreenderão esta verdade, enquanto dependam do intelecto para a compreenderem, e talvez não signifique muito para eles, mas esta verdade é de soma importância para a humanidade, para os que vivem na terra e no mundo dos espíritos.

"Você, Deus, me vê" não é só uma generalidade sem sentido, que os homens repetem e não compreendem, porque Deus sim vê cada ação do homem. E como disse, quando estive na terra, nem um pardal sequer caie sem que meu Pai o saiba, e os cabelos todos da cabeça estão contados. Assim, quando os homens aprenderem, que esta grande verdade é de tal importância, eles terão mais cuidado com a maneira como levam suas vidas.

Os homens têm que compreender, que Deus não só conhece suas ações senão também seus pensamentos. Terão que render conta de cada pensamento vaidoso, e terão que pagar os castigos, que as leis impõem. Oxalá os homens notassem o fato, de que Deus pode ver e conhecer, como são suas vidas na terra, então pensariam muitas vezes antes de fazer as coisas, que fazem, supondo que ninguém, só eles mesmos, sabem delas.

Me alegro muito, que o professor escrevesse a você sobre este tema esta noite, porque é muito importante em nosso plano de revelar as Verdades de Deus e Seus atributos.

Escreverei outra mensagem para você muito cedo, e uma escrita que será muito importante para a humanidade. Transmitirá também algo, que você tem que aprender.

Assim, com todo meu amor e minhas benções, eu sou

Seu próprio irmão e amigo,

        Jesus

 


 

 

Lucas adiciona seu testemunho sobre Quem e Que é Deus. Ele também confirma que Deus tem personalidade

 

Eu estou aqui, Lucas

Quero somar meu testemunho ao do professor Salyards, sobre Quem e Que é Deus. É claro que, como o Mestre tem substanciado, o que o professor escreveu, e o tem ampliado, meu testemunho não é necessário. Apesar, quero dizer umas poucas palavras, que são a expressão de meu conhecimento nascido de minha própria experiência.

Tenho um desenvolvimento da alma, que é maior a este do professor, e uma percepção que é mais clara e mais convincente do que a sua. E, apesar disso, o que ele tem dito, é tudo o que eu posso dizer relativo à verdade da Personalidade de Deus, exceto que é sem dúvida muito mais claro para mim, e a conheço já por mais tempo.

Eu sei que Deus é um Ser que tem Personalidade, conquanto não uma forma como o homem; mas Ele tem todos os atributos, que têm sido mencionados. Estes atributos não são Deus, senão somente qualidades, que Ele possui, e que, em sua função nos corações e almas dos homens, emanam e fluem dEle. Pode compreendê-lo melhor, se eu chamar sua atenção ao fato, que você pode ver, sentir, ouvir, amar e ter aversão, porém, estes atributos ou qualidades não são você, senão somente aquelas coisas, que formam sua personalidade. Se pode despojar a você de algumas ou todas delas, e, porém, você não cessará de existir como uma personalidade. E assim é com Deus. Estas coisas de Amor, Sabedoria, afeição e que Ele escuta, não constituem a Deus, porém, elas são uma parte dEle e Ele as exerce, igual como as qualidades, que mencionei que você exerce.

Eu sei que é difícil para a mente compreender esta grande Verdade, que Deus tem uma Personalidade. Porém, é uma Verdade que é tão real às percepções da alma desenvolvida, como é a existência da personalidade sua ou de algum outro homem para a mente limitada.

E aqui há outro fato em conexão com esta grande Verdade: que somente os espíritos, quem têm experimentado o Novo Nascimento e se têm enchido do Amor Divino do Pai, e como conseqüência são participantes de Sua Divindade, poderão perceber esta grande Verdade da Personalidade de Deus. Nenhum outro espírito, que não tenha o Amor Divino, jamais logrará este desenvolvimento da alma, do que se precisa absolutamente, para perceberem a grande Verdade que estamos discutindo.

Porém, o fato, de que estes outros espíritos não compreendem ou entendem esta Verdade, não a faz menos uma verdade; e todos os homens e espíritos estão sujeitos a suas operações e têm que chegar baixo os benefícios, que eles podem receber a causa da função desta Verdade em sua vida e seus pensamentos.

Somente porque os homens não podem ver a Deus, não resulta que Ele não os vê, porque Ele sim os vê. Ele se precata de cada pensamento deles e o registra. E pode parecer estranho a você, ou eu teria que dizer mais apropriadamente, surpreendente, que esta conta se leva nas memórias e consciências dos homens mesmos. E quando chegar o tempo para eles renderem conta de suas ações e pensamentos, não se procura em outro lugar ou receptáculo, nem se o examina para achar esta conta, senão nas mesmas memórias e consciências. E nada pode esconder-se ou perder-se, até que tenha sido cumprido o propósito de sua existência.

Os homens podem criar, mas não podem destruir. Eu me refiro agora a suas ações e seus pensamentos. Eles podem esquecer-se, e aliviar suas consciências, esquecendo na terra, porém, quando chegarem ao mundo dos espíritos e se os chama para renderem contas, as leis inexoráveis, que realmente são seus juizes e executores, lhes mostram, que não existe tal coisa como o esquecimento. E como se tem dito, eles se esqueceram de esquecer.

Deus é Existência, sendo por Si Mesmo, imutável, mas cheio de Amor e Misericórdia. E estes dons, Ele não oferece só a poucos. Antes, ele estabeleceu por certo, que Suas leis de Misericórdia funcionarão, para todos os espíritos dos homens, e os mortais também, poderem chegar em tal condição de alma, por suas próprias ações e desejos, que receberão o benefício desta Misericórdia. Sim, desde o princípio, Sua Misericórdia está esperando todos os homens, para a reclamarem e desejarem, igual como faz Seu Amor. Poderia escrever sobre este tema mais tempo, mas não devo escrever mais esta noite, você está cansado, assim fecharei.

Com todo meu amor e minhas benções, eu sou

Seu irmão em Cristo,

        Lucas

 

 


 

 

Estêvão declara que Deus vê, ouve e conhece os pensamentos dos homens e espíritos

 

Eu estou aqui, Estêvão, o discípulo

Quero dizer somente uma palavra.

No momento de meu martírio, eu vi os céus abertos e os espíritos dos justos feitos aperfeiçoados. E agora, por minhas percepções da alma, eu posso ver a Deus como um Ser real, pessoal, cheio de Amor e Misericórdia.

Não deixe que nenhum homem descanse na promessa que Deus é somente um espírito sem forma, sem atributos de ver e ouvir e conhecer, quais são os pensamentos e feitos dos homens e espíritos. Porque se ele o crer assim, no tempo de render contas, ele se sentirá decepcionado em sua falsa segurança. Estou em uma condição do desenvolvimento de alma para conhecer a Grande Verdade, que Deus é um Deus de Personalidade real. E quando eu dizer isso, não quero dizer individualidade no sentido como você é um indivíduo. Antes, o que quero expressar por "personalidade" é, que todos estes atributos de Amor, Poder, Conhecimento e Misericórdia não constituem a Deus. Eles somente formam parte de Seu ser, e emanam dEle nas operações dEle para os homens, e na realidade, para todas as coisas do universo.

Não detalharei esta Verdade, que já tem sido explicada por aqueles, que me precederam. Mas direi isto: porque um homem com uma mente limitada não pode compreender esta Verdade, não resulta de nenhuma maneira, que não é uma verdade, porque é. E no grande futuro, cada homem que tenha recebido o necessário desenvolvimento da alma, aprenderá e conhecerá esta Verdade.

Não escreverei mais esta noite, mas encorajarei você para seguir buscando este grande desenvolvimento de sua alma, e não será desenganado ao chegar a compreender que Deus é nosso Pai do Mestre — o Pai perto, pessoal e carinhoso.

Com todo meu amor, direi boa noite.

Seu irmão em Cristo,

        Estêvão

 

 


 

 

João confirma que Deus responde à reza. Ele discute a importância da oração para a alma poder desenvolver-se e grandes obras poderem seguir

 

Eu estou aqui, João

Eu sou o apóstolo, e não necessita de provar-me, como seu amigo disse, porque nenhum espírito pode passar-se por mim quando estou presente. Assim tem que crer-me e intentar receber o que escreva a você esta noite em fé, e sentirá que se beneficiará.

Vim principalmente para dizer a você, que passei escutando a conversa entre vocês dois, e a leitura do "Sermão da Montanha", que o Mestre nos deu nos dias de há muito tempo, como diriam vocês.

Quando o sermão foi entregado, nós não estivemos em uma condição de grande desenvolvimento espiritual, e não compreendemos seu significado interior. E relativo a seu significado literal, pensamos que não se referiu a assuntos práticos da vida. A gente, eu sei, pensa que nós estivemos muito desenvolvidos espiritualmente neste tempo, e que tivemos uma compreensão das Grandes Verdades ensinadas pelo Mestre, que era superior a aquela que os homens têm agora. Mas digo a você que isto é uma equivocação. Nós fomos homens comparativamente ignorantes, pescadores por ofício, e não tivemos uma educação superior a aquela do trabalhador comum deste tempo. E quando Jesus nos chamou a converter-nos em seus apóstolos, estivemos tão surpreendidos, e hesitamos tanto como você fez, quando a missão parecida foi declarada a você.

Nosso conhecimento veio com nossa fé nas grandes Verdades, que o Mestre ensinou, e de nossa observação dos grandes poderes, que ele expus; e também da influência do Grande Amor, que ele possuiu. Mas quando a humanidade pensar, que nós compreendemos facilmente as Grandes Verdades, que ele ensinou, está equivocada. Somente depois da descida do Espírito Santo sobre nós em pentecostes, chegamos totalmente em consonância com o Pai, ou apreciamos totalmente as Grandes Verdades, que o Mestre tinha ensinado.

É claro que, aprendemos muito, que os homens desse tempo não sabiam, e nossas almas se desenvolveram em um alto grau — mas não o suficiente para trazer-nos um conhecimento do maravilhoso significado das Verdades, que livraram os homens e os levaram em unissonância com o Pai.

Em seu conversa esta noite, discutiram sobre o valor relativo da reza e das obras, e não estiveram de acordo com o pregador, que as obras fossem as grandes coisas, para desenvolverem os homens no amor e realizarem grande felicidade no mundo, e que a reza não fosse de tanta importância.

Agora como um espírito, e como um homem quem trabalhou e orou na terra, deixe-me dizer a você com uma autoridade, que surge da experiência real, e de um conhecimento que vem da observação, que de todas as coisas importantes na terra para os homens, quem buscam a salvação e felicidade e o desenvolvimento da alma, a reza é a principal! Porque a reza não só traz o Amor e Benções do Pai, senão também a condição da mente e da intenção, que ocasionará que os homens façam grandes obras, que o pregador exortou para os homens as fazerem.

A reza é a causa do poder, que se dá aos homens, o que os capacitará para fazerem todas as grandes obras, as que trarão a recompensa ao feitor, e a felicidade e o benefício para quem as recebe.

Assim vê, os resultados jamais podem ser tão grandes como a causa. Porque a causa nesta instância não só dá ao homem esta capacidade de trabalhar, senão também de amar e de desenvolver sua alma, e de inspirá-lo com todos os pensamentos bons e verdadeiros. As obras são desejáveis, e em alguns casos necessárias; mas a reza é absolutamente indispensável. Para compreenderem você e seu amigo, e jamais duvidarem, que sem a reza, as obras dos homens seriam ineficazes para realizarem o grande bem, que até agora, o homem faz a seu irmão.

Reze, e seguirão as obras. Trabalhe, e você poderá fazer o bom, mas a alma não se beneficia. Porque Deus é um Deus que responde a reza por meio de Seus anjos, e pela influência de Seu Espírito Santo, que funciona no interior ou na parte real do homem.

Terminarei agora. Com meu Amor para ambos de vocês, eu sou,

Seu irmão em Cristo,

        João

 

 


 

 

João relata como as rezas são respondidas por coisas materiais. Revela que o Milagre dos pães e pezes jamais ocorreu

 

Eu estou aqui, João, o apóstolo de Jesus

Deus responde às rezas por coisas materiais pelo trabalho e a operação de Seus anjos e espíritos; e neste trabalho, eles estão sujeitos às limitações de sucesso, como mencionei antes. Deus não exerce nenhum poder arbitrário para responder aquelas rezas. Mas quando as oferecerem sinceramente a Ele, trabalha respondendo através de Seus anjos; e Ele não o faz por Seu mero "que se faça". Seus anjos sempre estão supervisando e trabalhando; e quando vem a oportunidade, usam suas influências na melhor maneira possível para realizar o objetivo desejado.

Como sabe, o homem tem seu livre arbítrio, e este determina em grande parte a ação dos homens. E aquelas ações jamais são controladas arbitrariamente pelo poder Divino. Se as rezas dos homens por coisas materiais poderem ser respondidas pelo trabalho dos anjos e espíritos, acontecerá assim; mas se tal resposta depender da vontade dos homens, então as coisas materiais não são recebidas pelos mortais, exceto quando os espíritos poderem influenciar nesta vontade e causar, que os homens atuem de acordo com esta influência, que sempre se usa para o propósito de efetuar as respostas às rezas que são apropriadas em sua natureza e dignas de uma resposta.

(Padgett perguntou com respeito aos profetas do Antigo Testamento.)

Pois, tenho dúvidas se alguma de aquelas petições fosse jamais respondida na maneira arbitrária, que se relata no Antigo Testamento. Deus jamais responde à reza de tal maneira. E as petições dos antigos profetas não tinham mais influência para realizarem as respostas para as mesmas, da maneira indicada, que as rezas de homens sinceros e sérios de estes dias. Deus foi o Mesmo então como Ele o é agora, e trabalhou pelos espíritos então como o faz agora; exceto que Ele agora tem anjos com um desenvolvimento da alma no Amor Divino, que Ele não tinha então, e estes anjos agora cumprem suas ordens, adicionalmente aos espíritos. Mas Ele não responde às rezas por coisas materiais, exceto de uma maneira em consonância com as leis controlando o livre arbítrio e as ações dos homens, como o trabalho dos espíritos pode operar sobre o mesmo e influenciar nele.

Algum dia virei e escreverei para você uma mensagem sobre este tema da reza e a resposta.

Mas isto quero dizer: que nós podemos compreender às vezes, que ocorrerá no próximo futuro; e tendo esse conhecimento, nós podemos contar aos mortais, o que se pode esperar, ou antes, que passará, e isto o fazemos às vezes.

No caso de você, todos nós, das esferas superiores, assim como muitos das esferas espirituais, conhecemos quais têm sido suas petições em referência a estes assuntos materiais, e temos trabalhado para lograr uma realização das mesmas em seu favor — não só a causa de suas petições, senão também porque estes assuntos materiais são tão necessários para o desempenho e o cumprimento de nosso trabalho. E temos utilizado nossa influência até o último, para realizarmos este fim. Mas como digo, todos temos limitações, e não temos o poder de provocar que algo aconteça somente porque nós assim o desejamos, mesmo que nós estejamos fazendo o trabalho do Pai.

Isso o pode surpreender ou desenganar, mas é um fato. E é uma grande verdade que Deus ajuda aqueles quem se ajudam mesmos.

É claro que, não deve perder da vista o fato de que, enquanto os homens mesmos têm que fazer aquelas coisas, que provocam sucessos ou fenômenos ou câmbios nas coisas materiais, nós podemos influenciar em seus desejos e intenções e sua vontade, que põe estas intenções em operação ou efeito, mas não absolutamente controlá-los.

Não, relativo a suas manifestações imediatas, estas coisas estão sujeitas à vontade dos homens. Jamais por uma mera ação do momento, ou de um caráter físico, Deus põe riqueza ou a prosperidade em mãos de nenhum homem. Estas coisas têm que ser forjadas e realizadas diretamente pelo homem. Mas quando o fizer, o homem pode ser e realmente é influenciado maravilhosamente pela atuação dos espíritos.

(Padgett perguntou João acerca de Jesus, quando alimentou à multidão.)

Bem, esta é uma pergunta que deu origem a que muitos homens duvidassem e a considerassem, e a explicassem de várias maneiras, o chamado "milagre dos pães e os peixes". Como eu fui um discípulo do Mestre neste tempo, é natural que se espere, que eu declare se tal milagre ocorreu ou não. E é claro que, posso declarar, como o fato realmente ocorreu. E apesar de que este suposto milagre tem sido usado por pregadores e mestres por muitos séculos para demonstrar o maravilhoso poder, do que Jesus dispunha, e por isso lograram, que muitos cressem nele e o aceitassem como Deus (ou pelo menos, que tinha poderes como Deus), e tem sido usado para fazer muito bem entre aqueles, os quais buscavam a verdadeira religião, me veio obrigado a dizer, e perdoe-me que o diga, que esse milagre não ocorreu jamais. Jesus teve maravilhosos poderes, e compreendeu o funcionamento das leis espirituais muito mais que qualquer mortal, quem viveu jamais, porém, ele não teve o poder para multiplicar pães e peixes, como se descreve no relato do milagre. Poder fazer isso, estaria contra as Leis de Deus, que regram as coisas materiais de Sua criação, e também além e fora dos poderes conferidos sobre qualquer homem ou anjo por qualquer das leis espirituais.

Existem certas leis pelas que nós (quem estamos familiarizados com estas e as usamos) podemos causar uma desmaterialização de substâncias físicas, e também podemos causar uma materialização de substâncias espirituais em um grau limitado. Mas não estou familiarizado com nenhuma lei, que tivesse operado baixo o controle de Jesus, para multiplicar os pões e peixes ao grande número mencionado na história, à que nos referimos. De fato, eu sei que este milagre nunca aconteceu, e Jesus dirá a você o mesmo.

Há outros supostos milagres na Bíblia, que jamais tiveram alguma existência como fatos.

Bem, tenho escrito a você uma carta longa esta noite, e tenho que terminar. Mas estou contento que me perguntasse sobre a resposta às rezas, e o milagre dos pães e peixes; porque suas perguntas me deram a oportunidade de explicar estes temas brevemente. Mas relativo à reza, tem que esperar até que a trate mais a fundo, ou em detalhe, antes de concluir que entendes o tema totalmente.

E digo a você: reza não só por coisas espirituais, que Deus concede a você por Seu Espírito Santo, senão também por coisas materiais, que Ele concede por Seus anjos e espíritos. A reza apropriada será respondida cedo ou tarde. E sua reza, pela que tenho escrito, será respondida, mesmo que a resposta lhe possa parecer que chegue muitíssimo tarde.

Com meu amor e minhas benções, direi boa noite.

Seu irmão em Cristo,

        João.

 


Home O Projeto Verdade